Dia 19 de junho

quarta-feira, julho 15, 2015

Dia 19 de junho
A professora  transpirando vontade de novidade
disse que iria sortear uma pessoa –impreterivelmente uma que não possuia uma falta na aula dela- e iria sortear um livro
Amo livros
“Não poderia ser outra coisa?”
Não. Não poderia. E não foi.
A sala se fez uma floresta, uma fazenda, cheia de bichos raivosos babando branco por entreterimento e não matéria
Eu quieta. Não como um bicho preguiça, estava mais para tigreza observando os suínos selvagens marcando presença. Rindo também. Porque é muito engraçado ver o que as pessoas fazem por atenção.

 De três pessoas, aquela que mais desgostava foi escolhida.
       A professora olhou para mim, com face de desintendimento.
       Amo ler. Amo ganhar livros. ~ era o que -querendo ou não- estava escrito na         
                        minha testa.
Isso se fez visível quando a professora disse que tudo bem. Daria um livro para cada uma pessoa.
Perguntou para cada um qual o livro que queriam. Eu sorri e disse: Eliane Brum.
Ela sorriu de volta. Sabe que todos os bons sentimentos que existem eu tenho pela escritora.


Dia 26 de junho
Dois dias após meu 21º ano viva.
Estava feliz porque chovia. Chuva é o que mais gosto, além de você, claro.
A professora esperou dar 10 minutos depois do início da aula e fez a chamada.
Eu sozinha, novamente.
Não vejo problema em sentar sozinha, ou ficar sozinha. É melhor ficar sozinha do que em má compania –já diz minha mãe.
Estava feliz porque nublava.
A professora com um pomposo lenço no pescoço sentou e anunciou que os livros estavam ali.
Não acreditei, muito rápido, uma semana.
Ela me deu o pacote prata e disse que não tinha Eliane Brum, porque nenhuma das livrarias do shopping principal tem livros dela (o que eu já sabia), e que o escritor Felipe Pena é um jornalista e resolveu fazer romances.
Não me decepcionei.
Já conheço a escrita da Eliane Brum. Agora Felipe Pena...? Me deixou com um pulga atrás da orelha.
Agradeci pelo livro e sufoquei a professora com um abraço. Era a semana do meu aniversário e (para mim) aquele foi o presente dela para mim.
Não aguentei de curiosidade.
Por que ela tinha que ter me dado o livro antes da revisão começar?
Semana que vem tem prova.
...
A revisão foi amena. Tranquila tranquila.
.ônibus.fomfoooom.
Cheguei em casa super feliz. Queria ler o livro logo, só que a empregada buscaria Sara e eu só tinha 30 minutos para fazer minha comida, uma vez que só como o que eu mesma preparo e cozinhar me deixa prazerosa.
.almocei..
13:15 a irmã tem aula de reforço na escola.
Está tendo obra aqui no corredor do apartamento, estão tirando os pisos e colocando outros, barulho com eco o mais alto que você já ouvira.
A empregada faz barulho em qualquer ação que faça. Desde varrer o chão a lavar a louça.
EU LEVO A PEQUENA NA ESCOLA!
Como ninguém lutou contra minha vontade, arrumei a Sara e fomos.
Em cinco minutos de caminhada: o céu abriu, ficou azul, o sol queimou nossa pele, nublou chuviscou. e
Detalhe para o frio: usava uma calça preta por baixo da calça jeans clara, e em baixo do moletom existia uma blusa de lã e uma blusa normal em formato de T que consistia na primeira camada.
Passamos pelo portão, deixei a irmã na sala depois do refeitório, andei até os banquinhos na secretaria e ali sentei para ler o livro.
O Verso do Cartão de Embarque
Detalhe para o tempo instável de Vitorinha: enquanto eu lia, reparei no campo de futebol que estava verde vívido sendo banhado com os raios solares, e logo após, na chuva intensa que fazia ventar forte no meu rosto.
...
Pastoriza
Papéis
Nina
pequenos
Berenice
marcando
Nicole
cada
Investigação
frase
Profs detetives
importante-

Seus chefes diziam que ela precisava ser objetiva, mas Berenice insistia na subjetividade (...)

 Invejosa, gorda, recalcada – repondia, mentalmente, com olhos de vodu.

Claudete Clotilde
Geraldo Jiraldino
Fabrício Faraó
Haroldo Erodes
Milena Madalena

Respirou.
\0/.

CENA1 – ROTEIRO SOBRE O ENCONTRO

FADE OUT.

Berenice procura
Nicole se encontra

(AVISO: caro(a) amigo(a), você não precisa ler os parágrafos a seguir para continuar acompanhando a história. Vá direto para o próximo capítulo e evite as contraindicações)

A aula acabou, fui ao seu encontro e ela me abraçou.
Clima ameno lá fora.
Fomos de mãos dadas para casa.
Nublado agradável cobria o céu.
~
O barulho continuava de ambos lados.
 ~brinquei com Sara até a hora de dormir~
Uno-pipoca doce-suco-vitamina de banana-uno-filme
Mams chega em casa. Hora de dormir.
Boa noite!
Embaixo do cobertor, a luz da tela do celular é o que comanda para o próximo capítulo. Após a leitura, dormi.
...
Acordei sete horas. Horário biológico.
Mesmo sendo antes das oito, minha cabeça fervia com teoria sobre a história.
E se Berenice fosse Nicole e se fosse Nina?
E se Pastoriza não tivesse fugido e sim só estava escondido de todo mundo em um porão? Para ver se as pessoas iriam sentir falta do garanhão.
Li.Li.Li.
13 horas marquei de almoçar com Bê e dad no shops para aliviar o estresse da faculdade.
Lógico que o verso do cartão de embarque estava na bolsa. Queria ter minar o livro de qualquer maneira. Ainda: página 157.

Me impressionei como os conceitos jornalísticos, aquelas que tem gente que decora para a prova, estavam presentes de forma tão suave no texto.
Não acho que uma pessoa que nunca passou pelo curso de jornalismo conseguiria entender plenamente a leitura. Pelo menos não como eu entendi.
Comemos salada no subway. O sanduíche sem o pão.
Tenha uma boa tarde você também, mesmo se colocou mais alface para eles dois do que para mim. Boa tarde. Mesmo me tratando mal, não me interessa. Boa tarde.
Ouvi eles conversarem sobre política, assunto que me traz um sono instantâneo. Pensava o tempo todo em como Berenice seria a Nina se Nicole tinha mais traços que combinavam com ela. E torcia sempre para a jornalista, mesmo com os clichês presentes. Torcia para a qual eu mais simpatizava, como uma boa amiga faz.
...
Depois do almoço;
Próximo ambiente: livraria.
Já tinha percebido no mês passado que a organização mudou. No lugar de duas cadeiras, colocaram nada. Tiraram as duas cadeiras que se eu tivesse sorte estariam vazias e eu acabaria com o Pastoriza de vez.
Andei mais um pouco. Sozinha. Porque depois que um foi embora, o outro ficou na ala de administração e concursos públicos. Como quem não quer nada, andei pela livraria.
Não achei bancos vazios e fui comunicar a ele que não tinha nada para fazer ali. Uma vez que o que eu mais queria era terminar de ler o livro. Mesmo faltando mais de 50 páginas. Quantidade de folhas não é problema para mim. Amo ler.
Amo ler.
Antes de eu falar com ele, reparei que tinha uma mesa pequena e duas cadeiras. Sentei.
Li que eles estavam em um lugar que vende chá, e que o chá tem a língua do Mao Tsé-Tung. Eles estão na China? MENTIRA!
pag.: 172

Acabou o capítulo da China, e fomos para casa.
Deitei na cama e li o livro.

“Se os senhores morressem em um acidente aéreo, quem gostariam que fosse a primeira pessoa a ser avisada?”

ESPERA

A liguagem é a chave do processo...

Pastoriza está em uma palestra falando sobre um exercício em que cada pessoa da clínica psiquiátrica descreve a cena do seminário em um caderno. E o caderno... É O LIVRO!

NÃO ACREDITO
Felipe Pena, você vai realmente deixar Nina sem um rosto?
Berenice sem um amor?
Sandrinha com um doutor?
...
Nicole e todo mundo numa sala de psiquiatria
AHAHAHAHAHA –levantei da cama-
MAS ESSE É O MELHOR LIVRO!
Sentei na cama –mas então nada aconteceu?
Claro que Pastoriza sumiu da vida deles. Eles não precisavam saber onde ele estava

Mas
    acabou assim?
Estou tão acostumada com romances e um fim concreto que estava até mesmo torcendo para quem vai ficar com Pastoriza
E quem é a Nina
E quem é a amada real entre clichês de músicas do Renato e...

Entre euforismos e surpresas
Entre o clichê e o fora do clichê
Entre plongée e contra-plongée
Gostei tanto do livro que meu primeiro pensamento foi procurar saber mais sobre o autor. Sobre Felipe Pena que veio embalado de Eliane Brum, o que não foi problema, porque foi mais surpreendente do que qualquer livro que alguém poderia me presentear.
...

Assisti sua última entrevista com o Jô. Ah mas o Jô... foge da pauta como ninguém, ou finge que foge –vai saber ele não foge é coisa nenhuma.

Pera


Felipe Pena deu o livro que eu tenho para o Jô. Aw que carinho!Tirei uma foto com o livro. Diversas fotos. Abraçando, em cima do meu colo, em cima da

cama. Como uma boa e assídua da rede social, postei a foto no instagram. Adicionei o escritor no instagram e twitter. Disse para mim mesma que como a escritora que sou, vou escrever como o livro voou para minhas mãos e como foi minha apreensão com o final, e que Final!

You Might Also Like

1 comentários